26 de abr de 2011

Poema de Pablo Neruda


Se não puderes ser um pinheiro, no topo da colina,
Sê um arbusto no vale mas sê
O melhor arbusto à margem do regato.
Sê um ramo, se não puderes ser uma àrvore.
Se não puderes ser um ramo, sê um pouco de relva
E da alegria a algum caminho.
Se não puderes ser uma estrada,
Sê apenas uma senda,
Se não puderes ser o Sol, sê uma estrela.
Não pelo tamanho que terás êxito ou fracasso...
Mas sê o melhor no que quer que sejas.
Pablo Neruda